Espetáculo Fio a Fio tece a poesia do envelhecer

0

Envelhecer é paradoxal. Se a experiência lança um vigor, o curso dos anos impõe limites ao corpo. Pensando nisso, os artistas Giselle Rodrigues e Edi Oliveira criaram o teatro-dança ‘Fio a Fio’, onde abordam poeticamente a arte de envelhecer. O espetáculo, gratuito, chega ao Centro Cultural Casarão, em Barão Geraldo | Campinas, nos dias 18 e 19 de dezembro próximo e acontece às 19 horas.

Divulgação

Giselle Rodrigues e Edi Oliveira realizavam algumas sessões de improvisação abertas, quando surgiu em ambos o desejo de falar sobre o processo de envelhecer, de quando o corpo começa a não responder a atividades que antes eram simples. "Meu próprio corpo é reflexo disso. Voltar a dançar, após vinte anos fora dos palcos, período em que atuei como diretora e coreógrafa, foi uma redescoberta e um aprendizado sobre esse novo corpo, que também envelhece a cada dia”, explica a coreógrafa e pesquisadora Giselle Rodrigues, que dirige a companhia BaSiraH, em Brasília. 


No palco, elementos do teatro e da dança se fundem resultando numa dança contemporânea mais dramática e teatral. A coreografia ampliada pela oralidade. O verbo em corpo mais potente. “Desde o princípio do processo, buscamos dar ênfase a uma composição que primasse pelo detalhe, pela sutileza e pela abordagem poética de pontos difíceis e até tabus sobre o processo de envelhecer. Como contraponto, procuramos dar uma poeticidade surgida de um trabalho com a palavra que nasceu do improviso, gerando textos presentes no espetáculo”, afirma Edi Oliveira.


O espetáculo

Fio a Fio estreou em outubro de 2015 no Teatro SESC Garagem, em Brasília. Em 2016 participou de dois festivais no Brasil: Festival Brasileiro de Teatro – XVIII Edição (RJ) e o Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília (DF). Participou, ainda em 2016, da Mostra Prêmio SESC do Teatro Candango, na qual foi premiado em 6 categorias: melhor espetáculo, melhor direção e melhor atriz, entre outras. Em agosto de 2017, participou, como convidado, da XVI Edição do Festival de Danza Contemporânea de Costa Rica e do Festival do Teatro Brasileiro em Belo Horizonte (MG). Em 2018 foi contemplado pelo Edital de Teatro da Petrobras Distribuidora tendo circulado por três estados brasileiros, Ceará, Tocantins e Rio de Janeiro, finalizando em Brasília. Em novembro de 2018 participou como convidado do XI Festival Danza en la Ciudad, em Bogotá, Colômbia. Para 2021, a apresentação conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.


Para o Centro Cultural Casarão, em Barão Geraldo | Campinas, acontecerão duas apresentações para o público em geral, uma no sábado, dia 18/12 e outra no domingo, dia 19/12, ambas às 19h00. Os ingressos são gratuitos e limitados a 50 participantes para seguir o protocolo de lotação máxima da COVID-19.

Após o espetáculo está previsto um bate-papo com os artistas. No domingo, às 9h00, acontece uma Oficina de Improvisação entre atores e bailarinos (estudantes e/ou profissionais) e os diretores e intérpretes do espetáculo.  Este encontro é uma oportunidade de troca de experiências. Todas as atividades são gratuitas e contam com uma intérprete em libras, ampliando e viabilizando o acesso de surdos. 

 

Giselle Rodrigues 

 

Giselle Rodrigues e Edi Oliveira possuem uma vasta carreira profissional na dança, consolidada em Brasília. Coreógrafa e bailarina, doutora em Artes pela UnB, foi bailarina do Endança na década de 80/90. Fundadora do Basirah Núcleo de Pesquisa em Dança Contemporânea em 1997, dirigiu o grupo por 15 anos. Atualmente é chefe e professora do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Brasília e transita nas áreas de dança e teatro como diretora, coreógrafa, provocadora e preparadora corporal. Em 2014 foi selecionada pelo edital Rumos Itaú com o projeto AISTHESIS. Desde 2016 integra a curadoria do Movimento Internacional de Dança - MID, festival de dança realizado em Brasília.

 

 

Edi Oliveira 

 

Graduado e Mestrando em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília, ator, bailarino, coreógrafo, professor de dança e fundador e diretor artístico do Dançapequena – Grupo de Dança Contemporânea desde 2000. Edi tem seu trajeto profissional permeado por duas companhias, Anti Satus Quo Cia. de Dança e o BasiraH, desenvolvendo trabalho autoral e de formação de bailarinos em Brasília. Também fundou sua própria companhia, Dançapequena Cia.

  

Serviço

 

Espetáculo

 

Fio a Fio: Espetáculo de teatro-dança, com Giselle Rodrigues e Édi Oliveira

Onde: Centro Cultural Casarão

Endereço: Rua Maria Sampaio Reginato s/n, Terras do Barão, Barão Geraldo, Campinas

Quando: Dias 18 e 19 de dezembro de 2021

Horário: 19h00

Capacidade Máxima: 50 pessoas

Ingresso: Gratuito. 50 senhas serão distribuídas com uma hora de antecedência no local.  Haverá intérprete em libras. Contribuição consciente no chapéu.

 

Oficina

Facilitadores:  Giselle Rodrigues e Édi Oliveira

Onde: Centro Cultural Casarão

Quando: Dia 19 de dezembro de 2021

Horário: 9h00

Capacidade Máxima: 15 pessoas

Inscrições: Gratuitas

Como se inscrever: pelo e-mail: nanamaris@gmail.com

 

 

Ficha técnica 

Concepção, direção coreografia e interpretação – Giselle Rodrigues e Edi Oliveira

Colaboração artística – Kênia Dias e Marcelo José

Desenho de Luz – Dalton Camargos e Moisez Vasconcellos

Cenário e figurino – Roustang Carrilho 

Trilha Sonora – Tomás Seferin

Operador de iluminação e Sonorização - João Dimas

Design Gráfico – Maíra Zannon / Ilha Design

Intérprete em Libras - Rafaela Prado Siqueira

Produção executiva – Naná Maris Produções Culturais

Produção local – Maíra Prates

Cobertura fotográfica local - Maíra Prates

Postar um comentário

0Comentários
Postar um comentário (0)

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Learn More
Accept !
To Top